judex

judex

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Mistérios




D. mendes, já retornastes de portugal?

O sol se põe na corte planaltina.
Um calango espreita, assustado, à beira do lago paranoá.
D. temer chega à casa de d. carmen.
Se aconchegam na cozinha.
D. carmen passa um café. 
D. temer esfrega as mãos.
Proseiam e assuntam.
Sabe-se lá sobre o que.


O dia amanhece.
Os candangos despertam.










segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Especialidade

O Legislativo cria crimes e aumenta as penas.

O Executivo fica na filosofia da vaca (defeca e anda), vivendo no mundo das idéias, das apresentações de planos em PowerPoint em cadeia nacional de rádio e televisão.

Tudo com a participação dos teóricos especialistas (gênero que engloba as espécies juristas, catedráticos, acadêmicos, artistas, humoristas, blogueiros, etc)

Aí os socialmente injustiçados reeducandos matam, decapitam, esquartejam os reeducandos de outra ideologia reeducativa, e a culpa é de quem?

Segundo os especialistas teóricos, dos juízes que, além de ganharem supersalarios e terem um monte de regalias, prendem mal e em demasia.
Deviam ser presos, decapitados e esquartejados.

(O Ministério Público, para variar, não entra nesta história)




(

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Desumanidade


O Congresso Nacional quer aprovar a fórceps a Lei de Abuso de Autoridade e a Lei dos Crimes Contra as Prerrogativas dos Advogados.

O STJ acaba de decidir que o crime de desacato viola os direitos humanos e, portanto, não mais subsiste no ordenamento jurídico.

Não é a toa que corre nas varas criminais, há algum tempo, o dito que a vossa excelência passou a ser o réu.

O humanismo ainda vai acabar extinguindo a humanidade.




domingo, 4 de dezembro de 2016

Homenagem a Ferreira Gullar

Hoje o Brasil perdeu o poeta da rebeldia, o artista idiossincrático Ferreira Gullar.

Sua poesia e sua postura nos inspiram.



OFF PRICE

Que a sorte me livre do mercado
e que me deixe
continuar fazendo (sem o saber)
                fora de esquema
                meu poema
inesperado

                e que eu possa
                cada vez mais desaprender
                de pensar o pensado
e assim poder
reinventar o certo pelo errado

sábado, 3 de dezembro de 2016

Sobre o PL aprovado na Câmara

Foi publicado no blog do jornalista Fausto Macedo um ótimo e didático artigo, assinado por Hélio Telho (não, não é pseudônimo usado aqui...) e Deltan Dallagnol.

Vai o link:

http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/abuso-de-autoridade-e-pena-de-aposentadoria-de-magistrados-mitos-e-verdades/

Ao invés de manifestações defronte aos fóruns, esse é o caminho: escrever, escrever e escrever. Com liberdade, ousadia e linguagem de fácil compreensão. Ir a rádios e tv's. Conversar e dialogar de peito aberto.

Mas isso pressupõe uma liberdade a juízes e promotores que nem mesmo suas associações querem lhes dar: basta ver que a associação paulista de magistrados quis padronizar as falas, enviando texto-padrão a seus associados, num discurso único, sem apelo nem emoção.

A falta de confiança, ao que parece, começa em casa...

Aviso de Funcionamento

O JudexQuoVadis? informa que a Apamagis (associação paulista de magistrados) começou a funcionar, neste ano de 2016, somente agora em dezembro.

Antes, estava correndo às voltas do próprio umbigo. Leia-se: da eleição de seu presidente para a chefia da AMB (associação dos magistrados brasileiros).

Egolatria e autofagia: os males da magistratura são.

Exaltação



Silval Barbosa: E é com isso que fizeram a busca e apreensão aqui em casa.
Gilmar Mendes: Meu Deus do céu!
Silval Barbosa: É!
Gilmar Mendes: Que absurdo! Eu vou lá. Depois, se for o caso, a gente conversa.
Silval Barbosa: Tá bom, então, ministro. Obrigado pela atenção!
Gilmar Mendes: Um abraço aí de solidariedade!
Silval Barbosa: Tá, obrigado, ministro! Tchau! 


Meia hora depois...

José Eduardo Cardozo:  Que confusão, hein, governador?
(Barbosa repete o que dissera a Gilmar Mendes sobre as acusações de corrupção)
José Eduardo Cardozo: Barbaridade!”
(Silval Barbosa diz ao ministro que tinha uma arma com registro vencido)
José Eduardo Cardozo: “Muita gente não sabe disso, viu, Silval? 
(Silva Barbosa critica o fato de a investigação ser tocada no Supremo, foro do ex-governador e atual senador Blairo Maggi, um dos investigados, e não no Superior Tribunal de Justiça, foro de Silval Barbosa )
José Eduardo Cardozo: Que loucura.... 
A conversa prossegue.
José Eduardo Cardozo: O pessoal da PF se comportou direitinho com você? (…) Eu queria saber muito se a PF tinha feito alguma arbitrariedade.
Silva Barbosa: “Fizeram o trabalho deles na maior educação, tranquilo.
José Eduardo Cardozo: Qualquer coisa me liga, tá, Silval?

(fonte: sítio da Revista Época)


Primeira alternativa: miniSTROS

Segunda alternativa: SNIstro


De qualquer forma,  
"Meu Deus do céu", "Que absurdo", "Barbaridade", "Que loucura."